x

Newsletter

Receba o conteúdo mensal :D

  • Mídias:
Max Gunther

Os Axiomas de Zurique

  • Recursos:

Axiomas de Zurique - Livros e Negócios

Apesar de montanhosa, sem litoral ou grandes reservas de petróleo, solo pobre de minerais e péssima agricultura devido a topografia e clima a Suíça é a terra dos homens mais ricos do mundo. Os famosos banqueiros suíços fizeram história e encabeçam a lista das maiores fortunas do planeta. O pai do autor, banqueiro, acabou por influenciá-lo desde muito cedo, que contagiou-se pela mentalidade especulativa dos investidores suíços. Motivado a documentar e perpetuar essas ideias, nasce o livro Os Axiomas de Zurique.

Mas afinal, o que é um axioma? Um axioma é uma verdade, uma máxima. Não precisa ser algo comprovado ou testado, mas implicitamente indica verdade, validade.

Por contar com investidores muito peculiares, os axiomas de Zurique tem muitas ideias que vão na contra mão do pensamento conservador de muitos investidores, mas como afirma o autor, foram com base nessas crenças que muitos suíços fizeram fortuna.

Recheado de histórias, o livro conta com muitos exemplos e aplicações dos axiomas, traz histórias sobre os que acertaram e sobre os que erraram.

O que chama atenção sobre os axiomas é a racionalidade de muitas ideias e a busca pelas escolhas inteligentes, sem otimismo ou pessimismo exagerado. Eles focam na construção de carteiras bem estruturadas, sem fé no acaso e com mentalidade de perda clara, eles entram no jogo sabendo que podem perder e preparados para assumir essas perdas.

O livro tem 12 grandes axiomas e 16 axiomas menores que complementam a ideia. Os axiomas percorrem os mais variados tópicos de investimentos e tem uma aplicabilidade em vários campos; antiguidades, minerais, obras de arte, ações, imóveis e entre outros.

Os principais axiomas são:

Risco, a preocupação não é doença, mas sinal de saúde. O autor acredita que quem não se preocupa não arrisca o bastante e está definitivamente na maior zona de conforto possível. Tomar riscos é saudável e deve ser feito de forma inteligente.

Ganância, mal da nossa espécie e pecado comum de investidores que perderam muito dinheiro. No mercado de ações muitas pessoas insistem em ações em alta, querendo mais, mais e mais. Porém quase sempre são atingidos por quedas épicas e com amargos prejuízos, tudo por que ficaram insistindo que no próximo dia poderiam ganhar ainda mais.

Esperança, quando o barco começar a afundar, não reze. Abandone-o. Muita gente continua apostando em jogo perdido, o autor adverte essa atitude que quase sempre é desmedida e irracional.

Previsões, desconfie do comportamento humano e dos padrões que se tenta definir em relação ao futuro. Pessoas são imprevisíveis e definir futuro é quase impossível. Desconfie sempre de previsões e pense duas vezes antes de tomar decisões com base exclusivamente nelas.

Padrões, até começar a aparecer ordem, o caos não é perigoso. O autor nos conta sobre um professor de economia de Yale que fez fortuna na bolsa. O problema é que ele tinha apostado em um padrão que encontrara e que continuou apostando continuamente neles. Acontece que em 1929 as regras mudaram e o padrão mudou e ele saiu quebrado.

Mobilidade, evite lançar raízes, investimentos que te deixam preso por anos impedem seu movimento e decisões mais adequadas para as recentes oportunidades.

Intuição, só se pode confiar num palpite que possa ser explicado. Tem um palpite? Acredita que aquela intuição tem tudo a ver? Bom, você consegue explicá-lo? Se conseguir validar, pode ser uma boa opção.

Religião e ocultismo, entre os desígnios de Deus para o universo é improvável que inclua você ficar rico. Com relação a dinheiro é melhor se manter ao mundo físico e baseado em decisões racionais.

Otimismo e pessimismo, duas ótimas formas que usadas de maneira inteligente pode trazer grandes resultados. Sem otimismo ninguém faria um investimento, mas só com base nele é arriscado.

Consenso, fuja da opinião da maioria. Boa parte dos grandes investidores suíços vão na contra mão da maioria. Até mesmo por que eles muitas vezes entram no jogo quando ninguém quer entrar e saem quando todo mundo está louco para entrar.

Teimosia, se não deu certo da primeira vez, esqueça. Ao se tratar de dinheiro, teimar em um investimento furado é a pior coisa possível. Se algo não vai bem e não apresenta bons e razoáveis motivos para continuar, esqueça.

Planejamento, o planejamento a longo prazo gera a perigosa crença que o futuro está sob controle. Quem planeja ao longo prazo está contando com variáveis que está fora do seu controle. Em alguns anos podem acontecer transformações severas em uma sociedade e planejar seu presente com base nos próximos 20 anos é um risco grande, além de que o preço pode ser irreversível.

podcast

Os Axiomas de Zurique
Max Gunther
Lucas Conchetto - 2020